A IMPORTÂNCIA DO TRABALHO DO MÚSCULO SÓLEO PARA A SAÚDE CARDIOVASCULAR

Na semana passada, a BBC News Brasil divulgou uma importante referência ao Músculo Sóleo para o sistema circulatório, comparando sua função ao músculo cardíaco e apelidando-o carinhosamente de “Segundo Coração”. Apesar de sua relevância anatômica e clínica, a funcionalidade deste grupamento muscular ainda é pouco conhecida. 

O trabalho desempenhado pelo Músculo Sóleo apresenta um impacto positivo sobre o sistema venoso, diminuindo a sobrecarga sanguínea sobre o tornozelo e permitindo o retorno do sangue circulante em nossos vasos sanguíneos. Durante o exercício, em especial a caminhada e a corrida, a contração das fibras do Músculo Sóleo promove a compressão da parede das veias das pernas.  

Apesar de sensorialmente imperceptível, a compressão venosa pela musculatura da perna impulsiona o conteúdo sanguíneo no sentido ascendente, vencendo a força da gravidade e mantendo o circuito cardiocirculatório, com bombeamento do sangue em direção as veias centrais e finalmente de volta ao coração. 

A função de bomba do Músculo Sóleo carrega consigo a semelhança primordial com o músculo Cardíaco. Em termos fisiológicos, a contração cardíaca bombeia o sangue em direção a periferia do corpo. Após navegar pela microcirculação, alternando o fluxo do sistema arterial para o sistema venoso, o Músculo Sóleo, ao contrair-se, bombeia o sangue da periferia do corpo em direção ao coração, mantendo a harmonia entre o nosso coração e a nossa circulação. Uma vez constituído por fibras musculares espessas, não é exagero referir-se ao Músculo Sóleo como a “Bomba Muscular” da panturrilha. 

Além disso, a denominação de “Segundo Coração” ou “Coração Periférico” advém da capacidade de manter o equilíbrio e a dinâmica circulatória pela contração das fibras do Músculo Sóleo. Entretanto, esta função de “Segundo Coração” ou “Bomba Muscular” exige atividade física e trabalho muscular constante, comumente realizado durante a caminhada, a corrida e ao subir ou descer lances de escada. 

A menor retenção líquida nas pernas e nos pés é perceptível naquelas pessoas que se mantem ativas durante a jornada de trabalho, em detrimento daqueles que exercem suas atividades profissionais predominantemente na posição sentada ou em pé. A falta de exercício muscular da panturrilha favorece a hipertensão venosa na perna e no tornozelo, em decorrência da atividade circulatória lentificada, aumentando a retenção líquida e consequentemente a maior incidência de inchaço próximo ao tornozelo e nos pés, geralmente acompanhado de dores nos membros inferiores e de sensação de pernas cansadas. 

A contração do Músculo Sóleo apresenta benefícios à saúde cardiovascular, diminuindo o risco de trombose venosa profunda e diminuindo a evolução para sarcopenia, que comprovadamente constitui um fator de risco para doenças circulatórias. Aproveite este conteúdo e procure exercitar a musculatura das suas pernas praticando a caminhada e a corrida. Para maiores informações, acesse o site www.drsthefanovascular.com.br

Deixe um comentário